sexta-feira, 10 de abril de 2009

Você sabe a origem da palavra Páscoa? Por que o "coelhinho" e os ovos de chocolate são usados como símbolos neste dia?

PÁSCOA

A origem e significado da palavra Páscoa
A Páscoa (do hebraico Pessach, significando passagem) é um evento religioso cristão, normalmente considerado pelas igrejas ligadas a esta corrente religiosa como a maior e a mais importante festa da cristandade.

Na Páscoa os cristãos celebram a Ressurreição de Jesus Cristo (Vitória sobre a morte) depois da sua morte por crucificação que teria ocorrido nesta altura do ano em 30 ou 33 d.C. O termo pode referir-se também ao período do ano canônico que dura cerca de dois meses a partir desta data até ao Pentecostes.

Os eventos da Páscoa teriam ocorrido durante o Pessach, data em que os judeus comemoram a libertação e fuga de seu povo escravizado no Egito.
A palavra Páscoa advém, exatamente do nome em hebraico da festa judaica à qual a Páscoa cristã está intimamente ligada, não só pelo sentido simbólico de “passagem”, comum às celebrações pagãs (passagem do inverno para a primavera) e judaicas (da escravatura no Egito para a liberdade na Terra prometida), mas também pela posição da Páscoa no calendário, segundo os cálculos que se indicam a seguir.

A suposta última ceia partilhada por Jesus e pelos discípulos é considerada, geralmente, um “seder do pesach” – a refeição ritual que acompanha a festividade judaica, se nos atermos à cronologia proposta pelos Evangelhos sinópticos. O Evangelho de João propõe uma cronologia distinta, ao situar a morte de Jesus por altura da hecatombe dos cordeiros do Pesach. Assim, a última ceia teria ocorrido um pouco antes desta festividade.

Os termos "Easter" (Ishtar) e "Ostern" (em inglês e alemão, respectivamente) parecem não ter qualquer relação etimológica com o Pesach(páscoa). As hipóteses mais aceitas relacionam os termos com Eostremonat, nome de um antigo mês germânico, ou de Eostre, uma deusa germânica relacionada com a primavera que era homenageada todos os anos, no mês de Eostremonat, de acordo com o historiador inglês do século VII, Beda.


Por que ovos de chocolate? Por que o "Coelhinho" foi o esolhido para trazer os ovinhos?

É muito difícil encontrar uma família cristã onde o hábito de dar ovos de chocolate como presente de Páscoa não seja seguido à risca e com toda a pompa e circunstância que a ocasião merece. Muito mais que uma simples ocasião comercial, a Páscoa é uma ocasião comemorada por duas das maiores religiões monoteístas da humanidade: A Cristã e a Judaica.

Mesmo tendo fatos determinantes diferentes para a comemoração: os judeus, através do Pessach, ou páscoa judaica, comemoram a libertação da escravidão do Egito e os cristãos a ressurreição de Cristo. A Páscoa encerra em seu âmago o mesmo princípio para as duas religiões; o renascimento para uma nova vida e uma oportunidade de promover a comunhão e a fraternidade entre os homens.
Mas, o costume de dar de presente ovos de chocolate nesta época, tomou tal rumo que mesmo pessoas pertencentes a outras religiões também aderiram à tradição e fazem da Páscoa a época do ano em que presenteiam aqueles a que amam com esses deliciosos presentes.

O costume de presentear com ovos surgiu na Idade Média, quando era proibido pela Igreja comer ovos, carne e doces durante a quaresma. Ao fim desse período, as pessoas costumavam trocar esses produtos entre si e darem festas onde a comilança reinava. Assim, os ovos de Páscoa representavam o fim desse período e o início das festividades. Além disso, tinham o simbolismo oculto da vida que estava para surgir. Simbolizando o Cristo que estava prestes a surgir nas trevas e levar a vida nova ao mundo pecador.
É engraçado como a escolha do chocolate para “entrar” nessa festa tem até um certo fundamento. Em latim, o nome científico do cacau é Tebroma cacau; que quer dizer néctar dos deuses. Portanto, a festa não perdeu nada do seu tom sagrado. Adição de leite e a moldagem em forma de ovo; deu, ao
chocolate de Páscoa, a capacidade de aglutinar o simbolismo da renovação da vida e da alimentação do espírito, levando força e saciedade à humanidade.

O Coelho da Páscoa acabou sendo convidado para a festa pela grande fertilidade e a simbologia da exuberância da vida. A junção desses dois símbolos de fecundidade e de vitória da vida sobre as dificuldades da vida fez com que o Coelhinho da Páscoa e os ovos de chocolate obtivessem um lugar essencial na festa da Páscoa e se tornassem seus maiores representantes.

Assim, o costume de presentear com ovos de chocolate na Páscoa; deixou de ter apenas um profundo senso religioso e passou a ser também uma demonstração de carinho, amor e afeição para pessoas de várias religiões e nacionalidades.

Muito mais que um símbolo religioso, a Páscoa é hoje uma data em que devemos fomentar o espírito de fraternidade e alimentar a concórdia e a pluralidade que Deus produziu em nosso planeta e em nossas vidas.
Presentear com
chocolates na páscoa é muito mais que um ato de adoração religiosa; é um momento onde tradição, carinho e sabor inigualável se unem para formar um mundo melhor.
*Extraído da wikipédia e do site http://www.dicasdepresentes.com.br/

Um comentário:

Kraxpelax disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.